Guia Barcelona, Roteiro Barcelona – o que visitar

Barcelona encontra paixões. Se procura saber o que visitar em Barcelona e um guia e um roteiro para visitar Barcelona, encontrou-os. Este guia completo leva-o a conhecer alguns dos pontos mais importantes em poucos dias. Cada dia vem acompanhado por um mapa de Barcelona com o respetivo percurso e vários locais a visitar assinalados. Esta é uma das cidades mais bonitas, descontraídas e emocionantes onde já estive. Quero levá-lo lá.

Ninguém gosta de perder tempo em filas! Em Barcelona há muitas… Aproveite o seu tempo ao máximo com o Barcelona City Pass. Sem limite de 24h ou 48h. O que pode estar incluído? Transfers desde o aeroporto, entradas na Sagrada Família e no Park Guell, autocarro/ônibus Hop on Hop Off, descontos de 20% em muitas atrações. Siga para o site do Barcelona City Pass para todas as informações.

Fiz a minha viagem a Barcelona de carro, como descrevi num artigo anterior onde refiro as vantagens e desvantagens comparando com viajar para Barcelona de avião. Chegando lá de carro, podemos visitar o primeiro ponto deste roteiro, o Mosteiro de Monserrat. Mas quem quiser ir de avião, também pode encontrar facilmente voos baratos Barcelona e depois ir ao mosteiro utilizando o funicular.

Barcelona também é uma cidade de onde partem muitos voos para outros lugares. Se puder usar o tempo disponível entre voos para ver alguns pontos da cidade, também pode usar este artigo para fazer a sua escolha. Numa viagem à Islândia que fiz no verão de 2012 ainda consegui dar um passeio pelas Ramblas e pelo Bairro Gótico e também visitar o Palau Guell!

Guia Barcelona, Roteiro Barcelona – o que visitar (Dia 1)

Mosteiro de Montserrat

O primeiro lugar para visitar é perto de Barcelona, nas montanhas onde foi construído o Mosteiro de Montserrat (Beneditino). Aqui vai ver das mais espetaculares vistas da Catalunha. É uma forma maravilhosa de ver nascer o sol se seguir os conselhos do artigo Portugal-Barcelona de carro.

O Mosteiro de Montserrat é lindíssimo. Pode lá passar parte da manhã, a descobrir tudo sobre a gruta onde alegadamente a Virgem Maria fez aparições ou sobre o coro de rapazes de Montserrat, mundialmente famoso.  Pode, também, visitar os arredores a pé, dando um passeio enquanto desfruta da vista para o Mosteiro de Montserrat e sobre os vales, que é de tirar a respiração.

roteiro barcelona mosteiro montserrat
Visitar Barcelona – Mosteiro de Montserrat

Ramblas

Siga de carro para Barcelona e faça o check-in no seu hotel (hotel Barcelona). É também boa ideia estacionar o carro num dos muitos parques vigiados para estar descansado durante a viagem. Como deve ser hora de almoço, vá a pé até às Ramblas. Este é o centro da cidade e qualquer roteiro de Barcelona o deve incluir várias vezes ao longo da sua estadia.

A palavra Rambla deriva do árabe raml, que significa leito de rio. Hoje em dia, já não correm rios no meio da cidade, mas é nas Ramblas que o maior fluxo de pessoas, locais ou turistas, se encontra. Aliás, visitar Barcelona é quase sinónimo de ramblejar, termo que significa “andar para cima e para baixo nas Ramblas”.

guia barcelona ramblas
Percorrer as Ramblas – cada um vai como quer!

Comece o seu passeio nas Ramblas de Barcelona a partir da Praça da Catalunha, para depois ir descendo até ao Mar Mediterrâneo. Até lá chegar vai encontrar muita animação como pessoas a conversar, comprar flores, a beber um copo, estátuas humanas extremamente detalhadas e outros artistas de rua.

Embora as Ramblas sejam uma única avenida de Barcelona, esta é, na verdade, composta por várias partes, onde vai encontrar cenários diferentes no seu percurso para sul.

  • Rambla de Canaletes – Os velhotes juntam-se aqui para falar de futebol e política. Nas bancas vende-se jornais e revistas.
  • Rambla dels Estudis – Também conhecida como Rambla dels Ocells (pássaros) por causa das bancas de venda de animais, é nesta zona que há acesso à Església de Betlem, à Catedral de Barcelona e ao fabuloso Barri Gòtic (Bairro Gótico).
  • Rambla de Sant Josep – As bancas de flores dão-lhe o segundo nome por que é conhecida (Rambla de les Flors), o que dá um colorido especial a esta parte da cidade. No Palau de la Virreina (nº 99) fica o Centro de Informação a Turistas de Barcelona, onde pode recolher folhetos e boas dicas para ajudar a complementar este Guia Roteiro Barcelona ou comprar bilhetes para eventos culturais e artísticos. Um pouco mais abaixo, à direita, está o Mercat de la Boqueria, um mercado cheio de vida e cor. Se não quiser perder muito tempo, coma uma das refeições já preparadas e uma peça de fruta ou doce com delicioso aspecto. O Mercado da Boqueria está aberto todos os dias entre as 6 e as 21h, mas encerra ao domingo. Por si só já é um espetáculo e um lugar para tirar espantosas fotos em Barcelona.  Tire também umas fotografias à fachada da Casa Bruno Quadros (nº 82), uma antiga loja de guarda-chuvas.
  • Rambla dels Caputxins – Ao caminhar por esta Rambla vai estar a pisar uma obra de arte de Joan Miró, o Mosaic. Os músicos de rua e estátuas humanas param nesta zona em busca da sua moeda. Escolha o seu preferido e contribua para o bom ambiente deste espaço. Continuando a descer, encontra o Gran Teatre del Liceu (sala de ópera), o  Palau Guell (palácio) e a Plaça Reial (Praça Real) que, na minha opinião devem ser deixados para outro dia. Agora é altura para respirar as ruas de Barcelona.
  • Rambla de Santa Mónica – Os artistas de rua, tais como retratistas e pintores, fazem negócio nesta última parte das Ramblas, já perto do mar. No Centre d’Art Santa Mònica pode-se ver arte “avant-garde” num antigo convento.

As Ramblas acabam no Monument a Colom, uma enorme estátua no meio da Plaça del Portal de la Pau, construída para a Exposição Universal de 1888. Quando visitar esta última parte das Ramblas tenha em atenção que é onde deverá ter mais cuidado com os carteiristas de Barcelona. À noite, é menos recomendável mas nada de verdadeiramente mais perigoso do que qualquer outra grande cidade. É preciso é estar atento, aqui como em qualquer lugar.

guia barcelona mercado boqueria
Visitar Barcelona – Mercado da Boqueria

Marina de Barcelona

Acabou de chegar à Marina de Barcelona, uma parte da cidade muito bonita de visitar. Vire à esquerda e siga sempre junto à água. Quando esta acabar não vire imediatamente à direita mas atravesse a estrada uma e outra vez.

Barceloneta

Em vez de ir já até à Praia de Barcelona (à direita), siga em frente para Barceloneta, um bairro criado em meados do século XVIII para estivadores e barqueiros. Depois vieram os pescadores. O ponto central deste agradável bairro é a Plaça de la Barceloneta, com a sua igreja e as fontes.

Se não comeu no Mercado da Boqueria, faça um piquenique no parque da Barceloneta ou então experimente um dos restaurantes onde as especialidades passam por peixe e marisco.

visitar barcelona praia
Visitar Barcelona – praia

Praias de Barcelona

Este Guia Barcelona – o que visitar leva-o agora até à beira-mar. Há poucas grandes cidades no mundo que tenham praias limpas e de qualidade (só me lembro do Rio de Janeiro e de Sidney). As praias de Barcelona têm 5 km de água limpa com uma temperatura fantástica.  Na viagem que fiz com a minha mulher e outro casal fomos à praia, mas num outro dia, descrito mais adiante.

Todo o ambiente da beira-mar é muito agradável, sempre com pessoas a visitar o “calçadão” despreocupadamente a comer gelados, skaters ou patinadores e obras de arte. Faça uma pausa no seu roteiro de Barcelona e fique por aqui um bocado.

guia barcelona noite
Visitar Barcelona – noite

Já deve estar a cair a primeira noite em Barcelona. Não faltam lugares perto da praia para jantar. Ou, então, volte à zona das Ramblas, que também são muito bonitas de noite. Para regressar ao seu hotel faça o percurso inverso ou, se estiver muito cansado, entre na Estação de Metro de Barceloneta, onde termina o roteiro no mapa para este dia.

Roteiro Mapa Barcelona, o que visitar – dia 1

Guia Barcelona, Roteiro Barcelona – o que visitar (Dia 2)

Edifícios modernistas de Barcelona

Acorde bem cedo no dia 2 da sua viagem a visitar Barcelona. O roteiro para este dia começa por um percurso entre imensos edifícios modernistas. Barcelona é, por excelência, a cidade da arquitetura art nouveau, com construções de muitos arquitetos famosos. O mais  conhecido é, sem dúvida, o genial Antoni Gaudí.

O passeio começa no café Els Quatre Gats onde, no início do século XX, os artistas modernistas se encontravam. A rua estreita (Carrer de Montsió 3) pode ser um pouco difícil de encontrar mas vai conseguir consultando o mapa mais abaixo e levando consigo um bom Guia de Barcelona.  Neste famoso café desenhado por Puig i Cadafalch, Picasso chegou a desenhar o menu. A fachada e as janelas esculpidas no estilo neo-gótico são muito bonitas e originais.

roteiro barcelona arquitetura
Visitar Barcelona – café Els Quatre Gats

A partir daqui, este roteiro vai ser um ziguezague por entre ruas de Barcelona. Por isso, o melhor é consultar o mapa mais abaixo para seguir o percurso sugerido neste guia Barcelona para o dia 2. Mas ficam aqui os maiores pontos de interesse neste passeio, que deve ser feito sem pressas, quase sempre para norte.

Palau de la Música Catalana

Esta fantástica sala de concertos foi construída em 1908 como sede da sociedade coral Orfeó Català por Montaner, um dos mais importantes arquitetos do modernismo. Esta obra-prima da Arte Nova de Barcelona foi classificada como Património Mundial da Humanidade. E é fácil perceber porquê quando se vê por dentro e por fora.

  • Exterior – A fachada do Palau de la Música Catalana é impressionante, especialmente se a luz do dia o deixar admirar as colunas cobertas de mosaicos e os bustos de Bach, Palestrina, Beethoven e Wagner. No canto deste ícone de Barcelona, existe uma coluna que escorre de uma torre mourisca, simbolizando uma canção popular catalã. No telhado há uma cúpula muito parecida com as das mesquitas, com a bandeira catalã e os escudos de São Jorge (santo padroeiro de Barcelona).
guia barcelona visitar roteiro
Visitar Barcelona – Palau de la Música Catalana
  • Interior – Há flores decorativas por todo o lado. Logo na entrada, rosas, lírios e outras flores sobem os pilares e percorrem o tecto e as janelas em vitral. Mas a sala de concertos é uma absoluta loucura! A luz e a cor são impressionantes. Existem vitrais celestiais em redor do órgão e figuras de musas com o corpo em mosaico e cabeça em terracota. Dos lados do palco existem esculturas que representam o gosto popular musical de Barcelona. À direita estão o busto de Beethoven e as Valquírias de Richard Wagner; à esquerda, uma árvore tradicional coloca sob a sua sombra o compositor catalão Anselm Clavé.

Palau de la Música Catalana Barcelona – Informações

– As visitas guiadas de 50 minutos são a única forma de visitar o interior
– Horário – todos os dias 10-15.30h; Agosto e semana da Páscoa 10-18h
– Preço –  12 euros adultos; 10 euros estudantes, reformados UE e grupos; 9 euros grupos de estudantes ou reformados

Compre os bilhetes para a visita guiada ou para ouvir música coral, de câmara, sinfónica ou clássica na bilheteira dos espectáculos. Para levar uma recordação de Barcelona com o tema desta casa de espetáculos, dirija-se à loja do lado esquerdo, num outro edifício. Na rua da fachada do Palau de la Música Catalana existem algumas lojas interessantes, como a Como me ves te verás (produtos e artesanato mexicano) ou o Café Arábia.

Manzana de la Discórdia

No Passeig de Gràcia, conhecida avenida de Barcelona, vai encontrar a Manzana de la Discordia. Neste quarteirão vai encontrar três das mais famosas composições arquitetónicas modernistas de Barcelona, realizadas por arquitetos rivais que produziram obras completamente diferentes em estilo.

  • Casa Lleó Morera – O magnata de Barcelona que deu o nome à casa, que fica numa esquina, encomendou a remodelação a partir de um edifício antigo ao arquiteto Montaner, que terminaria a obra em 1905. Vai poder admirar a sua imponente fachada com bonitas esculturas em pedra, as originais janelas e a torre mas o interior desta importante obra modernista de Barcelona não está aberto ao público.
  • Casa Amatller – Construída em 1900 por Cadafalch, esta casa e as suas janelas têm a forma da letra A,  iniciais do seu dono, Antoni Amatller. A parte superior da fachada é em escada, ao estilo holandês ou flamengo, decorada com motivos cerâmicos de cores que fazem imediatamente lembrar o blaugrana de Barcelona (azul e bordeaux). Existem detalhes góticos como gárgulas, colunas torcidas e brasões de armas esculpidos.  Há também esculturas de animais e uma de São Jorge a matar um dragão, outra representação emblemática de Barcelona.

Casa Amatller Barcelona – Informações

– As visitas guiadas para visitar o interior necessitam de reserva
– Horário – Terças e domingos 17h, quartas 12h
– Preço –  10 euros (inclui degustação de chocolate Amatller)

guia barcelona casa amatller
Visitar Barcelona – Casa Amatller
  • Casa Batlló – Foi o mestre Gaudí quem desenhou esta casa com aspecto assustador, que é a minha preferida. É a casa mais alta do quarteirão e, mais uma vez, São Jorge e a sua lenda encontram-se aqui representados. Os mosaicos azuis e verdes da fachada lembram a pele escamada de um dragão e o telhado curvo o seu dorso. As grades das varandas e os pilares das janelas parecem as caveiras e os ossos das vítimas do dragão. Impressionante vista do exterior. Eu não cheguei a entrar. O tempo não chega para visitar tudo em Barcelona…

Casa Batlló Barcelona – Informações

– Horário – todos os dias 9-20h
– Preço –  18 euros (visitas guiadas incluem guia audio)

Nota: também bastante perto está a fabulosa Casa Milà mas, como a estas horas as filas na entrada devem ser enormes, deixe a visita para bem cedo no dia seguinte.

Basílica Sagrada Família

O roteiro pelas jóias modernistas de Barcelona neste guia termina na Avenida Diagonal, onde já vai encontrar indicações para fazer o percurso de 500m até à Basílica da Sagrada Família, sem dúvida, a mais impressionante construção de Barcelona. Esta catedral é quase inacreditável, mesmo quando a vemos com os nossos próprios olhos.

O  arquiteto Antoni Gaudí assumiu o controlo do projeto do Temple Expiatori Sagrada Família (nome original) em 1883 e dedicou o resto da sua vida a este monumento descomunal. Ainda estava a trabalhar nela quando morreu atropelado por um elétrico, em 1926.

A Sagrada Família ainda não está acabada, mais de um século depois, mas as alterações são constantes. Quando estiver concluída, a Sagrada Família de Barcelona terá 18 torres: 12 dedicadas aos apóstolos, 4 aos evangelistas, 1 a Jesus e outra a Maria.

visitar barcelona sagrada familia
Visitar Barcelona – Basílica Sagrada Família
  • Exterior – Ainda antes de entrar na Sagrada Família, comece a fotografar a fachada ao longe, desde o parque na Praça Gaudí. Aproxime-se e fique louco com os pormenores
    • Fachada da Natividade – Dedicada aos nascimento e primeiros anos de Cristo, as suas três entradas representam a Fé, a Esperança e a Caridade. Os pormenores góticos são tantos que esta construção mais parece a entrada natural de uma gruta. Repare nos anjos sem asas com os seus trompetes em bronze. Por cima da entrada está a Árvore da Vida, um enorme cipreste de cerâmica verde coberto de pombas brancas. Já foram identificadas mais de 36 espécies diferentes de pássaros e 30 de plantas no mosaico desta fachada!
    • Fachada da Paixão – As torres deste lado seguem os desenhos originais de Gaudí mas as estátuas que  representam a Paixão e Morte de Cristo, da Última Ceia à Crucificação, foram completadas em 1990 pelo escultor moderno catalão Josep Maria Subirachs. Estas estátuas são angulosas e rígidas, contrastando com o estilo fluente e orgânico de Gaudí. O contraste gerou alguma controvérsia mas muitas pessoas consideram que o brilhante arquiteto da Catedral teria gostado que esta fosse construída por gerações diferentes trazendo diferentes estilos. Eu acho a mistura genial! Era capaz de estar um dia inteiro a tirar fotografias só das fachadas. Os ângulos são quase infindáveis.
  • Interior – Na altura em que estive em Barcelona (Verão 2010) a entrada fazia-se por baixo, onde são guardados alguns dos desenhos e maquetes da Sagrada Família. Não fui, portanto, ver os pilares tortos da cripta que, segundo parece, a tornam mpressionante. Numa das capelas está sepultado o corpo de Gaudí, junto aos pés da estátua de Maria. Na catedral em si, mesmo entre o pó, deu para ficar impressionado com as dimensões, as janelas, os vitrais e os pormenores. Não pude subir as escadas em espiral até à torre mas todos os guias de Barcelona dizem que o esforço vale a pena. Se estiver cansado, use o elevador.

 

Sagrada Família Barcelona – Informações

– Horário – 9-18h Outubro a Março; 9-20h Abril a Setembro
– Preço –  12,50 euros entrada normal adultos; 16,50 euros entrada guiada ou com guia audio adultos; gratuito crianças até 10 anos

Este dia do seu Roteiro Barcelona – o que visitar chegou quase ao fim. Apanhe o metro até ao centro, encontre um bom restaurante com tapas (petiscos) e dê um passeio à noite pelas ruas de Barcelona antes de voltar ao seu hotel.

Roteiro Mapa Barcelona, o que visitar – dia 2

Guia Barcelona, Roteiro Barcelona – o que visitar (Dia 3)

Casa Milà

Volte a levantar-se cedo para chegar à Casa Milà antes das grandes filas se formarem à porta. A Casa Milà é mais um dos ícones de Barcelona projetado por Gaudí. Mais conhecida como La Pedrera (A Pedreira), mais parece um rochedo construído numa esquina do Passeig de Gràcia. A obra ficou completa em 1912, antes de Gaudí se dedicar por inteiro à Sagrada Família.

A Casa Milà é um bloco de apartamentos cheio de curvas suaves que demonstram que, no Modernismo, a estética dominava a praticabilidade. O edifício é tão original que foi o primeiro do século XX a ser declarado Património Mundial da Humanidade pela Unesco, em 1984. Lá dentro, pode visitar alguns apartamentos com decorações e mobiliário de época bastante interessantes. Gostei particularmente das cozinhas. No bonito sotão de arcos parabólicos também existem desenhos e maquetes da construção, bem como objetos que inspiraram Gaudí.

Mas o lugar mais fascinante da Casa Milà é o terraço ondulante repleto de chaminés com fragmentos de mosaicos incrustrados. A loucura de Gaudí deixou coisas fabulosas. E a vista que se tem do terraço sobre Barcelona é igualmente fascinante, podendo mesmo ajudá-lo a orientar-se para a próxima etapa deste Roteiro Barcelona – o que visitar.

guia barcelona casa mila
Visitar Barcelona – Casa Milà

Ao sair da Casa Milà, vire à esquerda e suba uns 10 metros o Passeig de Grácia até encontrar a enorme loja Vinçon, que vende produtos para a casa de design contemporâneo. Esta visita até pode sair um pouco do roteiro turístico tradicional de Barcelona mas, para mim, o design tem tudo a ver com a capital da Catalunha. Dê um passeio lá dentro e não perca a exposição de design gráfico e industrial.

Continue a subir o Passeig de Gràcia até atravessar a Avigunda Diagonal e chegar à Plaça de Joan Carles I. Subindo os Jardins de Salvador Espriu, descanse um pouco num banco enquanto come um gelado (se for Verão). Hoje vai andar bastante a pé.

Bairro da Gràcia

Seguindo o percurso desenhado no mapa do dia 3 deste Guia Barcelona – o que visitar, entre no emblemático Bairro da Gràcia, repleto de pequenas praças e ruas estreitas. É aqui que, há já muito tempo, os boémios artistas, escritores e estudantes de Barcelona gostam de estar.

Tudo na Gràcia é pacato e castiço, desde as bandeiras nacionalistas da Catalunha penduradas nas janelas das praças até aos restaurantes de tapas e as pequenas lojas e mercearias de bairro. Visite o mercado modernista Mercat de la Llibertat, construído em 1893 após um projeto do assistente de Gaudí, Francesc Berenguer. Lá dentro, tudo é arrumadinho e os produtos têm um óptimo aspecto.

Também vai encontrar alguns edifícios interessantes com destaque para a Casa Vicens (Carrer de les Carolines 24), uma das primeiras obras de Gaudí em Barcelona, coberta de azulejos (o dono era fabricante) e rodeada por fortíssimas grades de ferro.

Parque Guell

A seguir à Casa Vicens vire à direita para a Avigunda del Príncep D’Asturies e, mais uma vez, siga o mapa de Barcelona dia 3 até encontrar umas escadas que dão acesso ao Parque Guell. Vai ter que andar um bocado, mas o passeio pelas ruas de Barcelona é sempre agradável. Se estiver mesmo cansado, apanhe os autocarros 24 ou 25 até à entrada principal. O metro não é uma boa opção, já que todas as estações ficam longe da entrada.

Se seguir o caminho do mapa de Barcelona dia 3, vai entrar por uma entrada secundária no topo de um monte difícil de subir mas que, em parte, até tem escadas rolantes. Depois do esforço há umas caravanas que vendem comes e bebes para o reconfortar. Depois de passar os muros, vire à esquerda seguindo o mapa que lhe dão para percorrer os caminhos labirínticos e apreciar a vista fantástica de Barcelona.

O Parque Guell é mais uma obra de Gaudí a visitar em Barcelona obrigatoriamente. Em 1900, o objectivo do proprietário, Eusebi Guell, era a construção de uma nova zona residencial fora do centro urbano mas os habitantes ricos de Barcelona não se mostraram muito interessados. Das 60 casas originalmente pensadas, apenas 2 foram construídas. O parque foi, então, um desastre económico mas é um testemunho incrível da imaginação de Gaudí.

O Parque Guell tem 15 hectares de vegetação. O percurso deste Guia Barcelona – o que visitar leva-o à zona mais importante, a da entrada principal, na parte superior. O espaço aberto forma uma espécie de praça com uma vista deslumbrante sobre Barcelona, que pode disfrutar sentado num dos muitos bancos ondulantes cobertos de pedaços de azulejos. Por baixo desta área está a Sala Hipóstila, originalmente projectada para ser o mercado da cidade-jardim.

Esta é a peça central do Parque Guell. A “sala” tem 86 colunas dóricas decoradas com 4 discos em forma de Sol feitos com bocados de azulejos caleidoscópicos que representam as 4 estações. Há ainda outras representações como a Lua nas suas diferentes fases, figuras da mitologia grega, insígnias cristãs, sânscritos, símbolos egípcios e personagens do Antigo Testamento. Toda esta zona de sombra das colunas é muito bonita.

roteiro barcelona parque guell
Visitar Barcelona – Parque Guell

Descendo a maravilhosa escadaria, vai encontrar um dos símbolos de Barcelona e da Alquimia, a salamandra, que aqui é uma fonte. Veja também a serpente em bronze que representa o bastão de Aesculapius, o deus grego da medicina, e o banco que parece uma boca aberta de espanto, no cimo da escadaria. Virado para esta, suba um pouco à direita para ir ver a Casa Museu Gaudí (eu não entrei porque as filas eram enormes e porque, segundo os guias que li, não é assim tão interessante). Por perto, um músico de rua tocava harpa.

Na saída principal do Parque Guell, junto ao espetacular portão de ferro trabalhado, há duas pequenas casas que parecem saídas dum conto de fadas. Todo o parque é muito bonito… é pena haver tantos turistas. Evite visitá-lo num feriado ou domingo à tarde.

Parque Guell Barcelona – Informações

– Horário – 10-19h (varia um pouco em certas alturas do ano)
– Preço – gratuito

Ao sair do Parque Guell vai encontrar logo uma loja de recordações muito boa. Mais abaixo à direita há outras, onde os artigos são mais baratos mas menos interessantes. Para voltar ao centro de Barcelona, retome o percurso que seguiu desde o Bairro da Gràcia, até à estação de metro Lesseps. Tem a noite por sua conta antes de voltar ao hotel.

Roteiro Mapa Barcelona, o que visitar – dia 3

Guia Barcelona, Roteiro Barcelona – o que visitar (Dia 4)

Foi no dia 4 do meu Guia Roteiro Barcelona – o que visitar que eu visitei o Mercado da Boqueria com mais pormenor, logo de manhã bem cedo, quando há mais actividade e tudo é mais fresco. Divirta-se a visitar o mercado e tome um belo pequeno-almoço de frutas frescas.

Bairro Gótico

Saindo do Mercado da Boqueria, atravesse as Ramblas para entrar no Bairro Gótico (Barri Gotic). De noite pode ser um bocado perigoso devido aos traficantes de droga que lá fazem negócio. Mas, de dia, este bairro lindíssimo é perfeitamente seguro. Vamos passar por aqui a maioria do dia 4 a visitar Barcelona.

O Bairro Gótico é um emaranhado de ruas medievais escuras que se encontram em praças cheias de sol. Aos palácios e igrejas espetaculares de antigamente juntaram-se as lojas especializadas. Tudo merece uma visita lenta e descontraída. No mapa mais abaixo tem sugestões de roteiros que o vão levar aos lugares descritos a seguir neste Guia Barcelona.

bairro gotico barcelona visitar
Visitar Barcelona – Bairro Gótico

Igreja Santa Maria del Pi

A Igreja Santa Maria del Pi é uma obra-prima do gótico construída nos séculos XIV-XV. À sua volta existem 3 praças, algumas com esplanadas onde se pode sentar e admirar os pormenores da fachada. Lá dentro, a igreja tem pouca decoração mas a sua arquitetura iluminada pela luz do sol que entra nos vitrais é muito bonita.

Plaça del Rei

A Plaça del Rei fica junto à Catedral de Barcelona, rodeada pelo Palau Reial, o antigo Palácio Real. Em tempos teve um mercado e, mais tarde, serralharias. Hoje em dia é um bonito espaço sossegado. Os destaques vão para o Mirador del Rei Marti, a torre da Capella de Santa Agata (a capela real) e o Palau del Loctinent (antiga residência oficial do vice-rei da Catalunha).

Plaça de San Jaume

A Plaça de San Jaume é o centro político e histórico de Barcelona. É aqui que se encontram, em lados opostos da praça, a Casa de la Ciutat ou Ajuntament (Câmara Municipal de Barcelona) e o Palau de la Generalitat (Sede do Governo da Catalunha). Qualquer um dos edifícios tem fachadas neo-clássicas do século XIX mas ambos são bastante mais antigos (século XIV). Reparem na imponência dos dois edifícios e nos pormenores dos belissímos candeeiros da praça.

Depois de observar o movimento de pessoas na praça e de visitar algumas das excelentes lojas ali perto, siga pela rua à direita do Palau de la Generalitat (Carrer del Bisbe), em direção à Catedral de Barcelona. Nesta rua existe uma magnífica ponte que liga a Generalitat à Casa dels Canonges (cónegos da catedral), hoje residência oficial do primeiro-ministro da Catalunha. A ponte parece gótica mas, na realidade, foi inspirada na Ponte dos Suspiros de Veneza e construída em 1928.

Catedral de Barcelona

Mesmo no coração do Bairro Gótico, a Catedral de Barcelona é um monumento grandioso que representa bem a arquitectura gótica catalã. No entanto, a Catedral foi construída entre os séculos XIII e XV e a sua fachada gótica é apenas dos finais do século XIX. O seu nome oficial é Catedral de la Santa Creu i Santa Eulália (Catedral da Santa Cruz e Santa Eulália) mas os locais chamam-lhe, simplesmente, La Seu (Sé).

catedral barcelona roteiro
Visitar Barcelona – Catedral de Barcelona
  • Exterior – Vai precisar de dar uma volta completa à Catedral de Barcelona para apreciar todos os pormenores das gárgulas e dos pináculos. A praça de frente para a fachada (Plaça de la Seu) também é muito bonita. À noite a fachada fica ainda mais impressionante com as luzes que fazem sobressair os seus traços arquitetónicos e recantos.
  • Interior – Por dentro, tudo é magnificamente iluminado pela luz do sol que entra pelos vitrais. À direita da entrada está a pia batismal onde foram batizados os seis índios trazidos do Novo Mundo por Cristóvão Colombo em 1493. Espreite o coro fechado bem à frente da catedral, para ver as cadeiras esculpidas do século XIV com os brasões reais pintados nas costas. Ainda no coro, repare no púlpito em madeira trabalhada e no painel de mármore branco da Renascença Italiana. A cripta é igualmente maravilhosa. Diz-se que no sarcófago de alabastro está sepultada a Santa Eulália, padroeira de Barcelona.
  • Claustros – Nos claustros da Catedral de Barcelona as colunas e paredes são muito bonitas, especialmente iluminados pelo sol, que também ilumina as laranjeiras, nespereiras, magnólias e palmeiras. Perto da fonte há uns quantos gansos, cujas penas brancas simbolizam a virgindade da Santa Eulália ou o passado romano da capital da Catalunha (os gansos guardaram, em tempos, o Capitólio). Não deixe de visitar a Capela de Santa Llùcia (século XIII), que é igualmente bela.
  • Telhado – Suba ao telhado (há elevador) para poder ver melhor as torres dos sinos e todo o Bairro Gótico de Barcelona.

Catedral de Barcelona – Informações

– Horário – Segunda-Sexta 8-13.30h, 16-19.30h; Sábado-Domingo 8-13.30h, 17-19.30h
– Preço – 4 euros para visitar a Catedral (para visitar o coro e o museu tem que pagar mais um pouco)

Há ainda outros monumentos interessantes no Bairro Gótico, assim como lojas especializadas espetaculares:

  • Museu del Calçat (Plaça de Sant Felip Neri 5) – como o próprio nome indica, é um museu do calçado (não o visitei).
  • L’Arca de L’Àvia (Carrer dels Banys Nous 20) – vende roupas e acessórios desde o século XVIII ao XX e esteve na base do guarda-roupa do filme Titanic. O dono é muito “esquisito” e não o vai deixar tocar em nada.
  • Papabubble (Carrer Ample 28) – fabrico artesanal de caramelos em frente dos seus olhos. Existe uma Papabubble também em Lisboa, mas eu só soube depois de descobrir a de Barcelona.

Palau Guell

O Palau Guell fica já fora do Bairro Gótico mas eu incluí-o neste roteiro porque fica bastante próximo, nas Ramblas. Quando lá tentei ir estava em obras mas, ao que parece, é uma casa fabulosa, mais uma criação de Gaudí (1890) considerada Património Mundial da Humanidade pela UNESCO. A restauração termina em Abril de 2011

guia barcelona palau guell
Visitar Barcelona – Palau Guell

O Palau Guell foi construído neste local para que a recente esposa de Eusebi Guell pudesse viver perto da casa dos pais dela. A sociedade de Barcelona da altura ficou extremamente surpreendida que Guell não construísse a casa no Eixample, o novo elegante bairro residencial da altura, mas sim nesta zona pouco recomendável de Barcelona.

O meu amigo João Leitão, do site Diário de Viagens, também tem páginas muito interessantes sobre visitar Barcelona.

Foi devido à vizinhança que Gaudí desenhou uma casa austera no exterior, com portões de ferro forjado na entrada, janelas góticas típicas de fortalezas e dragões ameaçadores. De fora, ainda consegui ver as bonitas chaminés no telhado, a maior delas com um curioso catavento com a forma de morcego.

Praia de Barcelona

Depois de visitar o Bairro Gótico, e já que ainda era cedo, decidimos ir ao nosso hotel em Barcelona para vestir os fatos de banho e ir dar um mergulho à praia. O ambiente na praia de Barcelona é extremamente descontraído, com homens a fazer nudismo no meio das famílias mesmo junto ao calçadão, muitas mulheres em topless, vendedores que vendem de tudo pela praia (desde chamuças até donuts, cervejas, água fresca, bebidas alcoólicas, coxas de franco, etc).

Apenas na praia existe areia, como nos apercebemos ao entrar no quente mar mediterrâneo e pondo os pés no fundo de calhaus. A seguir, voltámos ao hotel de metro, para tomar banho antes de jantarmos mais umas tapas.

Roteiro Mapa Barcelona, o que visitar – dia 4

Guia Barcelona, Roteiro Barcelona – o que visitar (Dia 5)

O dia 5 deste Guia Barcelona Roteiro – o que visitar é o do regresso a Portugal. Fomos buscar o carro ao parque de estacionamento vigiado e fizemos a viagem durante o dia. É bem mais fácil fazer todo o caminho de noite porque, quando há calor, a viagem de regresso torna-se um pouco cansativa e aborrecida.

Mas, com luz, é possível ver a Espanha das grandes extensões desérticas em algumas partes. Ainda parámos no Centro Comercial Xanadú, em Madrid, para comer e quebrar um pouco a rotina. Lá dentro encontrámos uma fantástica pista coberta de ski e snowboard que se vê desde uma loja de artigos de desporto. Chegámos a Portugal já a noite tinha caído.

Precisa de hotel em Barcelona? Carregue no botão para comparar preços no site que eu uso. Não paga mais por isso e assim ajuda-me a manter o Foto Viajar. Muito obrigado. Boa viagem!

Como organizar as suas viagens?

Estes são os sites e serviços que uso. Se o inspirei a planear a sua viagem, siga os links abaixo. Assim, ajuda-me a manter este blog pagando você exatamente o mesmo pelas reservas. Muito obrigado!

  • Para reservar alojamento uso o Booking. Tem os melhores hotéis e promoções.
  • As minhas buscas e reservas de voos são feitas no Skyscanner.
  • De longe, o melhor site para alugar carro é o Rentalcars.
  • Para evitar filas em monumentos e ter transfers de/para aeroportos uso o Ticketbar.
  • Comparo e faço seguros de viagem na Worldnomads ou na Iati Seguros. Nesta última, vai ver logo os preços com 5% de desconto por ser leitor do Foto Viajar.
  • Uso o Cartão Revolut fora (e dentro) da Zona Euro para evitar taxas bancárias.

Esta página contém links de afiliados.


Foto Viajar no Instagram

Instagram Foto Viajar