Roteiro Interrail Europa, viagem de comboio – Bruxelas, Gens e Bruges (Bélgica)

Depois da primeira etapa do (roteiro interrail) a visitar Paris, finalmente chegámos à Gare du Midi/Zuidstation em Bruxelas, Bélgica. Devíamos ter continuado no comboio/trem até à Central Station mas eu não sabia onde ficava e, em vez disso, fomos de metro até perto da Grand Place (Grande Praça) e do nosso hotel.

Bruxelas

Ficámos no (veja mais Hotel Mozart. Este hotel e o hostel de Paris foram os únicos que reservámos antes de começar a viagem. Para Bruxelas, eu já tinha procurado sítios mais baratos no Hotelworld.com, mas todos os quartos duplos eram mais do 30€ por pessoa e longe do centro da cidade. Acabámos por pagar 49€ por um quarto para os dois que encontrámos no Booking.com last hour offer (Hotéis Bruxelas no Booking.com). O hotel era muito bom, a cerca de 1 minuto a pé da Grand Place e com uma decoração em estilo árabe que o tornava quase um museu (a relação árabe/Mozart ainda é um mistério para mim).

interrail hotel bruxelas
Viagem Interrail Europa – Fonte árabe no Hotel Mozart, Bruxelas

Já tinha passado na rua do hotel sempre que estive em Bruxelas, mas nunca no Verão. Tinha lá estado sempre em Fevereiro (sim, para a FOSDEM, o maior evento organizado pela e para a comunidade internacional de programadores de Software Livre e Software Gratuito) e não me tinha apercebido que a rua era afinal bastante barulhenta para quem quer dormir. Mas não nos importámos.

Naquela mesma noite decidi praticar o meu Francês com o rececionista e perguntei-lhe porque havia tantas fotos do presidente Obama nas paredes do hotel. Ele respondeu: “Porque o patrão é americano, da Califórnia!”. Falámos um bocado sobre se o Obama pode mudar mais coisas. Muito simpáticos, os dois rececionistas com quem pude falar no hotel.

Não sei como explicar, mas há qualquer coisa em Bruxelas de que gosto muito. Alguns dos meus amigos dizem que é uma cidade pequena e desinteressante, mas eu adoro-a. Adoro a cerveja, os lugares, as pinturas de banda desenhada nas partes laterais de alguns edifícios, a Grand Place, as batatas fritas, o Amadeus e, claro, a FOSDEM!

E o que é o Amadeus? Bem, é o sítio onde se quer ir quando se está esfomeado durante viagens de trem/comboio! Amadeus, “o sítio das costeletas!”, num restaurante acolhedor à média luz, em ambiente vintage. Imaginem isto: entram num lugar enorme com paredes cobertas de prateleiras (com livros de verdade, claro) de alto abaixo, onde podem comer costeletas gigantes (acho que são de vaca, mas também podiam ser facilmente de dinossauro, pelo que sei). São servidas com uma boa salada e batatas cozidas cobertas com um molho delicioso. O preço? Paguei sempre um pouco menos de 20 euros, por isso é mesmo uma grande refeição!

interrail comida bruxelas
Viagem Interrail Europa – Costeleta meio comida no Amadeus em Bruxelas, Bélgica

A música dos anos 30 ajuda a criar uma atmosfera muito simpática. Juntamente com as luzes ténues, é como entrar numa outra dimensão. Uma em que o colesterol sobe e nos faz sentir mal por não termos espaço no estômago para mais. É simplesmente delicioso. Ah, é verdade, em Bruxelas não se chama Amadeus, mas sim Amadeo. Este ano tive que perguntar porquê e um empregado disse-me que era porque já havia um restaurante em Bruxelas chamado Amadeus.

Se já esteve na FOSDEM e foi ao Friday Beer Event (qualquer coisa como Evento da Cerveja na Sexta-feira) nos últimos dois anos, conhece o Delirium Café, um lugar com mais de 2000 marcas de cerveja. Estava curioso em ir lá outra vez, mas agora sem haver um geek por metro quadrado. Tinha dito à Helena “Tenho de te levar lá, vais adorar a cerveja Kasteel!”. E ela adorou. Há melhor maneira de acabar a noite depois de um jantar divino do que a beber uma cerveja como a Kasteel Kriek? Para quem não conhece, esta cerveja tem sabor a cereja mas com uma diferença para as outras com o mesmo sabor: tem 8º de álcool! Por isso, entra como se fosse um sumo mas os efeitos são diferentes… A Helena adorou. Mesmo!

Era suposto ficarmos só uma noite naquele hotel de Bruxelas mas gostámos tanto que eu pus o meu chapéu de negociador e falei com o rececionista acerca de ficarmos mais uma noite (não queria que esta noite extra custasse os iniciais 150€/noite sem o desconto last hour offer). Por isso, perguntei-lhe quanto custaria ficar mais uma. Ele perguntou-me “Quanto está a pagar agora?”. “49”, disse eu. Ele facilitou e disse: “Ok, dê-me só 50€!”. E ficámos mais uma noite naquele hotel.

No dia seguinte fomos ao Atomium, onde nunca tinha estado. É impressionante! Ficámos uns 5 minutos na fila para entrar e só depois nos apercebemos que tinha uma exposição dentro e que iríamos passar muito tempo ali (ainda estávamos traumatizados com o tempo que passámos nos museus de Londres). Então, depois de tirarmos umas fotografias, fomos embora porque queríamos visitar Gent e Bruges.

interrail bruxelas
Viagem Interrail Europa – Atomium em Bruxelas, Bélgica

Gent

Gent é uma cidade linda e a capital da Flandres Oriental. Tinha estado em Gent na primeira vez que fui à FOSDEM mas só de noite e, por isso, era praticamente a minha primeira visita. Gent, como o nosso guia de viagem dizia, é uma boa alternativa a Bruges, bonita mas com menos turistas.

interrail belgica gent
Viagem Interrail Europa – Fotografia artística da Helena em Gent, Bélgica
inter rail belgica
Viagem Interrail Europa – Vejam só todas estas as marcas de cerveja numa loja em Gent, Bélgica

Bruges

Estávamos ansiosos para visitar Bruges. Eu tinha visto o film In Bruges, que me tinha despertado o interesse por esta cidade belga (o filme é excelente). Bruges foi simplesmente maravilhosa a partir do início, logo desde a estação do comboio/trem até à praça central. Tudo estava tão limpo e cuidadosamente tratado. É claro que a praça do mercado estava cheia de turistas, muito mais do que em Gent, mas foi muito agradável. Entrámos na torre da praça, que tem uma grande importância no filme que referi há pouco, mas não conseguimos descobrir como subir lá acima. Talvez fosse porque passava das 5 da tarde.

interrail bruges belgica
Viagem Interrail Europa -Torre em Bruges, Bélgica

Já mais tarde, quando entrávamos no comboio/trem, tive a sensação que era de primeira classe (os nossos bilhetes de Interrail eram de segunda classe) mas, como só estávamos nós e outro casal, decidimos não verificar. Depois, quando o funcionário do trem/comboio chegou, confirmou-nos que a carruagem era de primeira classe mas “sabem, não se preocupem, estamos na Bélgica e só têm que mudar para a carruagem de segunda classe, não há problema”, disse-nos a sorrir. Foi o que fizemos a seguir mas, como já só estávamos a 10 minutos de Bruxelas, posso dizer que viajámos em primeira classe pelo menos uma vez nesta viagem de interrail.

Os transportes ferroviários estão mesmo bem organizados na Bélgica! Fizemos perguntas sobre viagens para Amesterdão e deram-nos um pequeno livro grátis com todos os horários de e para qualquer lugar; todos os funcionários das informações e vendedores de bilhetes falavam bom Inglês; eu adoro que não haja barreiras ou portas para entrar no metro ou elétrico/bonde (sim, pagámos sempre os bilhetes), uma filosofia diferente.

Bruxelas, de novo

De regresso a Bruxelas, tinha um segredo que escondi da Helena todo o dia. Tinha carregado dois anéis e um par de brincos no bolso à espera do momento certo para a pedir em casamento. A minha ideia era fazê-lo em Bruges mas “o momento certo” não apareceu e, por isso, quando estávamos a atravessar a Grand Place em direção ao Delirium Café, pedi-a em casamento e foi um momento lindo!

interrail bruges
Viagem Interrail Europa – Mesmo antes de mais uma cerveja Kriek, em Bruges

Na manhã seguinte tínhamos uma agenda apertada. Queria levar a Helena à chocolaterie onde lhe tinha comprado os presentes em Fevereiro. Não me lembro do nome (lembro-me do local exato, isso é que interessa). Os chocolates são mesmo caros MAS, comparados com Leonidas e outras marcas mais baratas, valem bem a pena. A Helena diz que são os melhores chocolates que já provou!

Infelizmente, a chocolaterie estava fechada e, por isso, fomos logo ao segundo lugar onde a queria levar: Le Pain Quotidien. Descobri esta pastelaria com o meu amigo Victor quando estávamos esfomeados e à procura dum lugar para tomar o pequeno-almoço perto da FOSDEM. Mais tarde, em Londres, viria a descobrir outra destas pastelarias e percebi que pertencem a uma cadeia, mas são muito boas.

A ideia desta cadeia é: entra-se num lugar acolhedor que cheira a pão fresco e com grandes mesas de madeira onde os clientes se sentam ao lado de quem já lá estava; escolhe-se, então, o bolo ou pão que se quer, tudo orgânico, é claro. O melhor ainda é que, no centro da mesa, há imensos potes com geleias, manteiga, etc. Em Londres era diferente… tinha que se escolher apenas uma geleia antecipadamente… não é a mesma coisa! Ah, e quando estávamos a ir embora reparámos que estavam a promover um novo produto: Pastel de Nata! Perdoamos-lhes por não referirem que é um produto (muito) português.

interrail bruxelas belgica
Viagem Interrail Europa – Hmmm, Le Pain Quotidien, hmmm… – Bruxelas, Bélgica

Depois disto, dissemos adeus à bela cidade de Bruxelas e fomos para a estação de comboios/trens. Com um pouco de tempo antes do comboio/trem partir, lembrei-me duma coisa assustadora… Tínhamos esquecido de reservar os bilhetes Paris/Irún para a nossa viagem de regresso à Corunha e havia fortes probabilidades das carrugagens já estarem cheias.

Na verdade, já nos tínhamos lembrado mas ainda não estava decidida a data do regresso e fomos adiando a decisão. Um bocado em pânico, perguntei ao funcionário se podíamos fazer a reserva a partir de Bruxelas. Ele disse-me que não mas que poderia verificar se havia lugares para o dia escolhido. OK, dia 15? Não? 14? Também cheio? 13? Nem dia 13?

Que se lixe, somos jovens e aventureiros! Empurrámos o sentimento de pânico para um canto dos nossos cérebros e seguimos para Amesterdão.

[Artigo traduzido e adaptado do original em inglês Interrail (Part 2) – Belgium.]

O autor deste artigo é o meu amigo Joaquim Rocha, um programador apaixonado de software livre. Habituou-se a viajar desde que começou a aventura de trabalhar em Espanha, depois na Suíça e Alemanha. Agora, mal pode esperar pela próxima viagem ou, até quem sabe, pelo próximo país para viver.

Todos os artigos do Roteiro Interrail na Europa

  1. Interrail França – Paris
  2. Interrail Bélgica – Bruxelas, Gens e Bruges
  3. Interrail Holanda – Amesterdão
  4. Interrail Alemanha – Berlim
  5. Interrail República Checa – Praga
  6. Interrail Alemanha – Munique
  7. Interrail França – O fim

Como organizar as suas viagens?

Estes são os sites e serviços que uso. Se o inspirei a planear a sua viagem, siga os links abaixo. Assim, ajuda-me a manter este blog pagando você exatamente o mesmo pelas reservas. Muito obrigado!

  • Para reservar alojamento uso o Booking. Tem os melhores hotéis e promoções.
  • As minhas buscas e reservas de voos são feitas no Skyscanner.
  • De longe, o melhor site para alugar carro é o Rentalcars.
  • Para evitar filas em monumentos e ter transfers de/para aeroportos uso o Ticketbar.
  • Comparo e faço seguros de viagem na Worldnomads ou na Iati Seguros. Nesta última, vai ver logo os preços com 5% de desconto por ser leitor do Foto Viajar.
  • Uso o Cartão Revolut fora (e dentro) da Zona Euro para evitar taxas bancárias.

Esta página contém links de afiliados.


Foto Viajar no Instagram

Instagram Foto Viajar