Costa de Odemira – Alentejo com vista para o mar

A Costa de Odemira não é segredo mas esconde muitos segredos… Eu explico. Creio que todos os portugueses (e muitos brasileiros) ouviram falar desta parte do litoral já bem a sul, onde o mar encontra imensas vezes a areia e, outras tantas, também rochas magníficas que culminam em majestosas falésias. No entanto, poucos são aqueles que já ousaram percorrer todos os caminhos desenhados, observar de perto toda a fauna e flora, experimentar no prato tudo o que o campo e o oceano nos dão.

Este artigo não vai desvendar totalmente os recantos. Nem seria possível! O que pretendo fazer é não mais do que acordar a curiosidade para que seja você próprio a achar o seu refúgio e a sua exclusiva, sublime, forma de voltar sempre onde foi feliz.

oceano Zambujeira do Mar
Tanto mar para ver na costa de Odemira…

Costa de Odemira – as praias

Vamos a factos! As praias da costa de Odemira, sem exceção, encontram-se no icónico Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina. O espaço de areia que o mar nos deixa é enorme ou diminuto, consoante o seu humor. Pode ser um pouco difícil encontrar a sua praia ao longo de uma costa de 55km onde as opções de praias galardoadas com Bandeira Azul são tantas.

A grande maioria das praias de Odemira é acessível e equipada para pessoas com mobilidade condicionada. Consoante as suas preferências, opte por praias urbanas ou selvagens. Também há umas quantas naturistas, onde nos apresentamos à natureza como ela própria, num estado absolutamente puro.

Sem explorar a fundo (deixo-lhe esse prazer para quando lá estiver), podemos organizar as praias em função do centro urbano mais próximo, apresentados aqui de norte para sul.

Vila Nova de Milfontes

  • Praia do Malhão – A apenas cerca de 5km de Vila Nova de Milfontes, o extenso areal de areia branca desta praia natural convida toda a gente a ficar (naturistas incluídos, na zona classificada mais a norte). Os entusiastas de desportos aquáticos como bodyboard e surf vão gostar da ondulação.
  • Praia do Farol – Bem junto a Vila Nova de Milfontes, na foz do Rio Mira, tem acesso fácil. As pequenas ondas tornam-na perfeita para famílias com crianças. A maré baixa põe a descoberto um areal que desafia para um passeio.
  • Praia da Franquia – A que está mais perto da povoação, banhada pelas águas do rio Mira misturadas com as do oceano. Também é adequada para famílias com crianças e pessoas que adoram os desportos aquáticos, com destaque para a canoagem.
  • Praia das Furnas – Dividida em duas partes, rio e mar, situa-se na margem sul do rio Mira com vista sobre, na outra margem, Vila Nova de Milfontes e as praias do Farol e da Franquia. Pode chegar à Praia das Furnas atravessando a ponte rodoviária. Mas de barco é mais divertido. Gosta de desportos náuticos? Então venha apreciar esta que já foi considerada a melhor praia de rio em Portugal.

Almograve

  • Praia do Almograve – A apenas 500m da povoação que lhe dá o nome, tem um areal onde se formam piscinas naturais durante a maré baixa. Um sucesso entre as crianças! As rochas à beira-mar são lindíssimas e estão prontas para uma brincadeira de exploração. Esta é mais uma boa praia para fazer bodyboard e surf.
Praia do Almograve, Odemira
Praia do Almograve, Odemira

Zambujeira do Mar

  • Praia da Zambujeira do Mar – Há quem diga que é a melhor praia urbana de Portugal. Está envolta em altas falésias de cujo topo se tem uma vista incrível para o mar, o areal e a vila. A ondulação é, aqui, forte. Ótima para bodyboarders e surfistas, portanto. É a praia de eleição dos milhares de loucos por música (e natureza, e convívio entre amigos, e sol,…) do Festival Meo Sudoeste. A evitar, portanto, no primeiro fim de semana de agosto. De resto, é boa demais!
  • Praia dos Alteirinhos – A escadaria que se tem de “vencer” desencoraja a ida a esta praia da costa de Odemira que fica um pouco a sul da aldeia de Zambujeira do Mar. Talvez por isso mesmo seja tão serena e classificada para a prática de naturismo.
  • Praia do Carvalhal – também um pouco a sul da Zambujeira e um pouco menos frequentada do que as restantes praias desta lista, tem duas arribas a “proteger” o areal.

Costa de Odemira – antes ou depois do verão

E porque o ano tem 365 dias (e às vezes até 366), nem só de banhos de sol e água salgada se ocupa o lento tempo que corre na costa de Odemira. Mesmo longe do calor do verão, o mar continua a presentear-nos.

À mesa no concelho de Odemira

A costa de Odemira dá-nos, muito provavelmente, algum do melhor peixe de Portugal. Uma parte vem da lota, alimentada pelos barcos cuja faina da madrugada é bem-sucedida. A outra parte deve-se a exímios pescadores que, sempre que o tempo permite, levam as suas canas até aos melhores pesqueiros e as lançam com maestria.

pesca Alentejo concelho Odemira
Um pescador na costa alentejana

São estes pescadores da costa de Odemira os responsáveis por muita da comida que chega à mesa no concelho, pois estes peixes são servidos em restaurantes que o enobrecem ainda mais. Porque no Alentejo come-se bem, diz quem por cá passa. E eu confirmo. Quantos segredos de família haverá ocultos na arte de preparar o pescado??

Se não for apreciador de peixe, poderá deliciar-se com o resultado do trabalho árduo que é feito no concelho de Odemira a nível da agricultura e pecuária. Os destaques vão para o gado bovino e caprino. No início ou final da refeição, deixe espaço para o mel e frutas da região.

Quanto a mim próprio, que raramente como carne ou peixe, e não sou propriamente fã deste último, deixei-me surpreender pelo que me foi servido nos restaurantes do concelho de Odemira, numa blog trip de 3 dias a convite do município. Fiquei rendido ao arroz de polvo, ao robalo e, especialmente, ao peixe-aranha. Talvez porque este já há muito tempo merecesse uma vendeta. E nem sequer foi em prato que eu tivesse comido frio…

Caminhadas à beira-mar – a Rota Vicentina na costa de Odemira

Antes ou depois de almoço, a costa atrai-nos para caminhadas pelas praias e falésias, mas também no interior de Odemira, ao longo de trilhos bem marcados da Rota Vicentina. Este projeto magnífico desenha percursos através do Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina, num litoral que é alentejano mas também algarvio. Para além do de Odemira, a Rota Vicentina atravessa os concelhos de Sines e Santiago do Cacém (Alentejo), bem como Aljezur, Vila do Bispo e Lagos (Algarve).

Em alguns pequenos passeios ou mais longas caminhadas (em inglês chamam-lhe hiking ou trekking) de meio dia, dia inteiro ou (quem sabe) várias dias, é possível sentir grande parte da essência do que é a Rota Vicentina.

Já várias vezes experimentei seguir os percursos marcados do chão a partir do Farol do Cabo Sardão. Na minha opinião, é um edifício enigmático, que cumpre a sua finalidade desde 1915. Apesar de uns… pormenores que o tornam único em Portugal: a porta de entrada dá para o mar, o farol está virado para terra!

farol cabo sardão
Farol do Cabo Sardão

Adoro sentir na pele a brisa de boas energias que chega do mar. Chama-nos o olhar para oeste, para o infinito de água e céu. No entanto, com a mesma facilidade dei por mim a admirar as altas falésias e a forma como resistem às ondas.

A meia altura, aqui e ali, as cegonhas escolheram a localização dos seus ninhos em função da privilegiada vista. Sabia que a Costa Alentejana é o único local do mundo onde a cegonha-branca nidifica nas arribas? Por enquanto, o motivo é algo que estas moradoras querem manter longe das outras aves da mesma espécie.

Ao longo do percurso, os odores das plantas tornam-se singulares ao mesclarem-se com o da maresia. Quanto aos nomes dessas plantas… deixo-lhe a alegria de os descobrir. Para tornar a experiência ainda mais imersiva.

Ao longo de toda a Rota Vicentina, em certas zonas dos trilhos de caminhadas, quando as falésias diminuem (progressivamente) de imponência, em lugares mais ou menos escondidos desta costa de Odemira, as praias só deixam de ser desertas quando nós chegamos.

Em relação a locais para descanso “estratégico”, dois bons nomes para ficarem na memória são o Porto de Pesca de Lapa de Pombas e o Porto das Barcas. A Zambujeira do Mar é uma vila ótima para se fazer uma pausa.

Quando se aventurar por estes lugares a pé, não esqueça que muitos dos percursos, na costa ou mais no interior, não são circulares, mas em linha. O melhor é que, entre amigos, se levem dois carros. Deixam um no ponto de partida e o outro no ponto de chegada. Em alternativa, haverá sempre um táxi que ajuda a cobrir a distância do regresso.


A costa de Odemira é um lugar, diria eu, paradisíaco para todos aqueles que adoram a quietude da natureza que se mantém sempre, mesmo no verão, e um povo que bem recebe. Aposto que já está a pensar nas datas para descobrir este Alentejo com vista para o mar!

Esta página foi escrita no âmbito de um blog trip para a qual fui convidado pelo Município de Odemira, a propósito da FEITUR – Feira de Turismo Desportivo e de Natureza 2019. No entanto, sendo o Foto Viajar um blog de experiências, todas as opiniões e sugestões que aqui faço são as mesmas que faria aos meus amigos.

Costa de Odemira Alentejo

Como organizar as suas viagens?

Estes são os sites e serviços que uso. Se o inspirei a planear a sua viagem, siga os links abaixo. Assim, ajuda-me a manter este blog pagando você exatamente o mesmo pelas reservas. Muito obrigado!

  • Para reservar alojamento uso o Booking. Tem os melhores hotéis e promoções.
  • As minhas buscas e reservas de voos são feitas no Skyscanner.
  • De longe, o melhor site para alugar carro é o Rentalcars.
  • Para evitar filas em monumentos e ter transfers de/para aeroportos uso o Ticketbar.
  • Comparo e faço seguros de viagem na Worldnomads ou na Iati Seguros. Nesta última, vai ver logo os preços com 5% de desconto por ser leitor do Foto Viajar.
  • Uso o Cartão Revolut fora (e dentro) da Zona Euro para evitar taxas bancárias.

Esta página contém links de afiliados.


Foto Viajar no Instagram

Instagram Foto Viajar